Nosso Blog

Gestão de Conflitos: Proposta de Tuckman e Liderança Situacional

Como fazer gestão de confitos? Os conflitos devem ser “evitados”a qualquer custo. Será mesmo?! Até porque sem conflito não há divergência e logo discussão de muitas ideias, soluções e assim diversificação dos pensamentos e desenvolvimento de senso critico ativo e construtivo.

Desde que o conflito não seja desagradável e ofensivo, ele não deve ser evitado e sim fazer a gestão de conflitos para que boas ideias sejam postas a mesa de maneira sadia. Para isso, Tuckman, Hersey e Blanchard desenvolveram modelos que se relacionam muito bem e são aplicáveis a maioria das equipes com diferentes níveis de maturidade e gestão.

Modelo de Desenvolvimento de Grupos de Bruce Tuckman

Bruce Tuckman propôs um modelo em 1965 que descreve as fases pelas quais uma equipe passa à medida que se desenvolve e se torna mais eficaz. Este modelo é conhecido pelas suas cinco etapas:

  1. Forming (Formação): Nesta fase inicial, os membros da equipe se conhecem e começam a entender seus papéis. Há um alto nível de dependência do líder para orientação e direção. Os relacionamentos ainda são superficiais e há um foco na troca de informações.
  2. Storming (Conflito): Esta é uma fase de conflito e competição. Os membros da equipe podem ter visões diferentes sobre o objetivo do grupo, papéis e responsabilidades. A liderança é crucial para ajudar a resolver conflitos e guiar a equipe.
  3. Norming (Normatização): Nesta fase, a equipe começa a se unir e a desenvolver normas e padrões de funcionamento. Os membros começam a trabalhar de forma mais coesa e colaborativa. O respeito mútuo aumenta e o líder pode começar a delegar mais responsabilidades.
  4. Performing (Desempenho): A equipe atinge um nível de funcionamento eficaz e produtivo. Os membros são competentes, autônomos e capazes de tomar decisões. O papel do líder é de facilitador e apoiador.
  5. Adjourning (Encerramento): Esta fase foi adicionada posteriormente por Tuckman em 1977 e se refere ao momento em que a equipe se dissolve após atingir seus objetivos. Pode haver uma sensação de perda ou de alívio, e o líder pode precisar ajudar a equipe a processar a transição.

Liderança Situacional

O modelo de Liderança Situacional, desenvolvido por Paul Hersey e Ken Blanchard, contribui para a gestão de conflitos, sugere que não há um único estilo de liderança “melhor”. Em vez disso, o estilo de liderança deve ser ajustado com base na maturidade e competência dos seguidores. Existem quatro estilos principais de liderança no modelo de Hersey e Blanchard:

  1. Diretiva (S1 – Dirigir): O líder fornece instruções específicas e supervisiona de perto as tarefas. Este estilo é mais adequado para seguidores que são inexperientes ou não estão dispostos a realizar a tarefa.
  2. Orientadora (S2 – Treinar): O líder continua a fornecer direção, mas também oferece suporte e encorajamento. Este estilo é útil para seguidores que estão dispostos, mas ainda precisam de mais habilidades ou experiência.
  3. Apoiadora (S3 – Apoiar): O líder oferece menos direção e mais suporte, incentivando a autonomia e a participação dos seguidores. Este estilo é apropriado para seguidores que são competentes, mas podem não estar dispostos ou confiantes o suficiente.
  4. Delegativa (S4 – Delegar): O líder delega a responsabilidade de decisões e execução para os seguidores. Este estilo é adequado para seguidores que são altamente competentes e motivados.

Integração dos Modelos

Os modelos de Tuckman e de Liderança Situacional podem ser utilizados de forma complementar para a gestão de conflitos. Por exemplo, na fase de formação (Forming) de Tuckman, um estilo de liderança mais diretivo (S1) pode ser necessário, enquanto na fase de desempenho (Performing), um estilo delegativo (S4) pode ser mais apropriado. A chave é que o líder precisa ser flexível e adaptar seu estilo de liderança à fase de desenvolvimento do grupo e à maturidade dos membros da equipe.

Aplicações Práticas

  • Diagnóstico do Estágio da Equipe: Líderes podem usar o modelo de Tuckman para diagnosticar em que estágio a equipe se encontra e prever desafios.
  • Adaptação de Estilos de Liderança: Com base no diagnóstico, líderes podem ajustar seu estilo de liderança usando o modelo de Liderança Situacional para melhor apoiar a equipe.

Em resumo, tanto o modelo de Tuckman quanto o de Liderança Situacional fornecem frameworks valiosos para líderes que desejam entender e melhorar a dinâmica e a eficácia de suas equipes.

Esta Gostando do conteúdo? Compartilhe!

//script do chatwoot