Nosso Blog

Metodologia para Matrizes de Riscos

Aprimorar as condições ambientais e de saúde dos trabalhadores não apenas permite que a organização cumpra os requisitos legais, mas também contribui para a melhoria da qualidade de vida de seus colaboradores. Isso é possível por meio da caracterização e monitoramento dos perigos relacionados às atividades laborais.

Ao aplicar essa metodologia em seus programas de gerenciamento de riscos, busca-se promover uma atuação preventiva na gestão da segurança e saúde ocupacional. Isso é alcançado por meio da identificação, reconhecimento e classificação dos riscos ocupacionais, permitindo a gestão eficaz, seja pela eliminação desses riscos ou pela adoção de medidas de controle para minimizá-los.

O MÉTODO

A metodologia derivada do FMEA e citada na ISO 31000 visa categorizar os riscos considerou o procedimento de identificação e reconhecimento de perigos, bem como a avaliação dos riscos ocupacionais. Esse método leva em conta as situações que podem causar danos em uma atividade específica, ambiente, instalação ou sistema, conforme estabelecido nas Normas Regulamentadoras e outras exigências legais relacionadas à segurança e saúde no trabalho.

LEVANTAMENTO PRELIMINAR DE PERIGOS

É necessário realizar uma análise inicial de perigos abrangendo todas as categorias de fatores de risco (físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos). Isso deve ser feito levando em consideração as especificidades de cada situação, mediante a aplicação dos critérios técnicos mais apropriados para cada tipo de perigo, e seguindo as referências técnicas e legais das normas regulamentadoras pertinentes.

AVALIAÇÃO DOS RISCOS OCUPACIONAIS

A probabilidade aqui considerada como o produto da Probabilidade e Detecção ajustado, para levantar a possibilidade de ocorrência de lesões ou agravos à saúde deve levar em conta:

  • a) os requisitos estabelecidos nas normas regulamentadoras;
  • b) as medidas de prevenção implementadas;
  • c) as exigências da atividade de trabalho; e
  • d) a comparação entre o perfil de exposição ocupacional e os valores de referência estabelecidos na legislação vigente.

A detecção é entendido como sendo as medidas de prevenção implementadas, levando-se em consideração os requisitos estabelecidos nas NRs e o histórico de ocorrências relacionadas ao perigo em análise.

O calculo é realizado atavés de (Probabilidade x Detecção)/4, arredondando o valor encontrado para cima, criando assim uma matriz de referencia 1 a 4.

A probabilidade deverá ser considerada o indice menos favoravel observando os seguintes perfis:

  • Perfil de exposição qualitativo – identificando-se as variáveis de tempo e a frequência de exposição;
  • Perfil de exposição quantitativo – quando há avaliações quantitativas no caso de fatores de risco físicos e químicos, que levam em consideração intensidade/concentração, tempo de exposição e frequência da exposição, comparados aos valores de referência, estabelecidos na NR-09. Caso existirem medidas de proteção coletivas instaladas, a quantificação da exposição deverá considerá-las.

A detecção deverá ser considerada o indice menos favoravel observando os seguintes perfis:

  • Perfil de exposição qualitativo – identificando-se as seguintes variáveis: medidas de prevenção (medidas administrativas), reclamações por parte dos trabalhadores e histórico de incidentes/acidentes;
  • Perfil de exposição quantitativo – quando há avaliações quantitativas no caso dos fatores de risco físicos e químicos, comparando-se o nível de exposição com valores de referência estabelecidos na legislação vigente, considerando-se a adoção de medidas de prevenção eficazes. Nesse caso, devem ser consideradas, para efeito de análise do controle, somente as medidas de prevenção individuais, uma vez que as medidas de prevenção coletivas já foram consideradas anteriormente.

A Severidade considera as possíveis lesões ou agravos à saúde, considera os critérios especiais relacionados ao potencial de perigo em causar lesões ou agravos à saúde, como, por exemplo:

  • Toxicidade, potencial carcinogênico, mutagênico e teratogênico de agentes químicos e físicos, podendo toma como base a classificação da ACGIH e da LINACH;
  • Potencial de agentes químicos causadores de lesões, quando em contato com olhos, mucosa e pele;
  • Classificação para agentes biológicos, de acordo com dados da secretaria de saúde, dados da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH, consultas a profissionais médicos e outros documentos técnicos disponíveis.

A priorização das ações deve ser estabelecida pelo nível NPR de risco calculado. É usual
definir quatro categorias de priorização de ações, de acordo com a classificação de prioridade do risco.

NIVEL DE PRIORIDADE DO RISCO NPR

Diversas modelos de matriz e levantamentos podem ser encontrados e utilizados, o ideal é que a equipe de levantamento se reuna e defina os critérios que melhor atenda o grupo, categoria ou região de empresas ao qual a matriz será aplicada além de aderir aos perfis profissionais da equipe, possuindo assim uma matriz que se comunica o mais fielmente as riscos existentes no ambientes de trabalho premissas definidas.

Aqui o modelo pode ser baixado, mas lembramos… ajuste o as suas necessiades e particularidades.

Em suma p PGR ressalta a relevância da cultura de segurança, envolvendo todos os níveis hierárquicos da organização. A conscientização dos colaboradores, aliada a treinamentos eficazes, é crucial para a promoção de comportamentos seguros e a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

Assim a matriz de riscos visa através de sua priorizaçào nortear as empresas a qual açò tomar e a qual tempo realizar.

Esta Gostando do conteúdo? Compartilhe!

//script do chatwoot